No Brasil, o homeschooling (educação domiciliar da educação básica) já foi aprovado pela Câmara dos Deputados, partindo agora para debates no Senado Federal, se aprovará ou não a modalidade. O ciclo de debates, definido no último dia 9 de junho, é composto por seis audiências públicas, com datas a serem estabelecidas por Marcelo Castro, Presidente da Comissão da Educação.

Serão convocados representantes do Ministério da Educação (MEC), do Conselho Nacional de Educação (CNE) e da Associação Nacional de Educação Domiciliar (Aned), para o primeiro debate, que terá como tema o direito à educação. O impacto da regulamentação do homeschooling é o assunto da segunda audiência, com participantes do Todos pela Educação, da União Brasileira de Estudantes Secundaristas (Ubes) e União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime).

Conheça: Especialização EaD em Direito da Criança e do Adolescente

De acordo com pesquisas do Instituto Datafolha e do Centro de Estudos em Opinião Pública da Unicamp, oito em cada dez brasileiros são contrários à ideia de educação domiciliar. Hoje em dia, cerca de 15 mil estudantes entre 4 e 17 anos já estudam em casa, segundo a Aned. O Brasil conta com 46,7 milhões de estudantes matriculados em 178mil escolas, conforme Censo Escolar de 2021, realizado pelo MEC.

Conteúdos relacionados

link whatsapp